12/01/2017

Apontamentos sobre gestão democrática escolar


Gestão escolar democrática é a gerência exercida na escola com a colaboração de todos. É um processo de comunicação e dinamismo entre todos os profissionais, alunos e suas famílias.
          Esta postura revela uma forma de encarar a educação e o ensino, onde o Poder Público, o coletivo escolar e a comunidade local, juntos, estarão sintonizados para garantir a qualidade do processo educativo (GRACINDO, 2007).
          O gestor escolar exerce funções de liderança e deve facilitar o acesso dos demais envolvidos com a escola e também deve compreender que os profissionais da escola, mais a comunidade escolar têm direito de participar ativamente do processo decisório do plano de ensino e das demais atividades que a escola venha a realizar durante o ano letivo.
          A gestão democrática é assegurada pelo Art. 206 da Constituição Federal em que defende a igualdade de condições para o acesso e permanência na escola; a liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber; pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino.
            E também pela Lei de diretrizes e bases da educação - Lei nº 9.394/96:
          Art. 14. Os sistemas de ensino definirão as normas da gestão democrática do ensino público na educação básica, de acordo com as suas peculiaridades e conforme os seguintes princípios:
         I - participação dos profissionais da educação na elaboração do projeto pedagógico da escola;
         II - participação das comunidades escolar e local em conselhos escolares ou equivalentes.
          E também é amparada pelo PNE (Plano Nacional da Educação), em sua meta 19: Assegurar condições, no prazo de 2 anos, para a efetivação da gestão democrática da Educação, associada a critérios técnicos de mérito e desempenho e à consulta pública à comunidade escolar, no âmbito das escolas públicas, prevendo recursos e apoio técnico da União para tanto.       
Para que a gestão democrática ocorra de fato, é imprescindível que o gestor esteja disponível a realizar decisões conjuntas, ouvir a opinião de todos e saber trabalhar em equipe, porque essas atitudes farão com que a comunidade escolar tome a responsabilidade para si estando dispostos a se envolverem mais ativamente.
          Quando as decisões são tomadas por todos, além de aliviar a carga de responsabilidades do gestor, também melhora a qualidade do ensino uma vez que quando as metas são estabelecidas de forma conjunta, elas são mais fáceis de serem cumpridas e os objetivos se tornam de mais fácil alcance. Criar condições para que o ambiente seja participativo, é incluir e fazer com que a escola realmente seja para todos e o poder seja exercido sem discriminações hierárquicas e todos se tornem proprietários da estruturação do projeto pedagógico. Isso contribuiu para o avanço social uma vez que a educação tem participação direta no desenvolvimento da cidadania e a gestão democrática auxilia nessa visão de estabelecer objetivos de forma co-participativa. O vínculo criado entre a escola e a comunidade escolar possibilita avanços estratégicos em educação de acordo com as necessidades do local onde a escola está inserida e conforme a realidade vivenciada pelos alunos.
          Propiciar uma gestão escolar participativa é necessário para gerar compromisso com o papel social, facilitar a democratização do ensino além de estabelecer limites subjetivos e objetivá-los de forma colaborativa, porque as pessoas aderem melhor aquilo que ajudaram a estabelecer diretamente, ou seja, elas revelam comprometimento.
          Segundo Antonildo Alves Victor, 2014, Se a participação requer compromisso com a missão da organização, o compromisso advém desse sentimento de pertença. As pessoas somente se comprometem com aquilo que lhe diz respeito, ou que faz parte de suas vidas. Se a pessoa faz parte de um determinado grupo ou organização se aquele espaço social faz parte de sua vida e, portanto, também lhe pertence, a pessoa participa das decisões porque elas afetam sua vida. Só há efetiva participação e compromisso quando se adquire a cultura do querer participar para exercer poder sobre o que lhe pertence, o que diz respeito à sua vida e ao seu futuro. A verdadeira participação requer a superação da cultura do dever participar, do “espírito de colaboração”, da mera “incumbência” para incorporar a cultura do querer participar.
   

            Foram realizadas algumas perguntas acerca da temática à educadora Luci Cleide dos Santos Barbosa Bento, formada em letras e especializada em coordenação pedagógica, que exerceu os cargos de regente de turmas de 1º e 2º segmento do Ensino Fundamental, regente de turmas de Ensino Médio, Coordenador Pedagógico e Diretor Adjunto.
          Luci Cleide tem vasta experiência, tendo trabalhado em 12 escolas ao longo dos 30 anos que esteve na área da educação, sendo 8 exercidos na função de gestão escolar. As perguntas podem ser conferidas a seguir:

MISS – Quais as atitudes de liderança são necessárias para exercer o trabalho de gestão escolar?

Luci Cleide – Acolher e motivar o grupo de trabalho, valorizar suas qualidades, ser um exemplo a ser seguido e estar junto diante dos desafios.


MISS – Como você organizava e realizava sua gestão na escola?

Luci Cleide – Através da implementação do Projeto Político Pedagógico, que é constituído da estrutura da escola, sua missão, seus valores, sua representação no bairro, na perspectiva dos professores, alunos, pais, funcionários, quando todos visualizam suas necessidades e seus desejos para um futuro melhor, numa sociedade melhor. A partir daí, elaboramos um planejamento para cada ano, marcando etapas para avaliar cada processo e estabelecer novas metas.


MISS – Quais suas percepções acerca da gestão participativa?

Luci Cleide – É a visão do gestor que ouve cada segmento que compõe a comunidade escolar, e permite que todos contribuam com a sua atuação, tornando-se responsáveis pelo sucesso da gestão.


MISS – A escola ou escolas em que você trabalhou dava abertura para a gestão participativa? Quais os limites desta colaboração?

Luci Cleide – Sim. O PPP e o Conselho Escolar são instrumentos que legitimam esta participação. Os limites, muitas vezes são estabelecidos pelos órgãos de controle, como as secretarias de educação. A colaboração das famílias ainda é um fator que deixa a desejar.


MISS – Qual sua opinião sobre o cenário da educação assim que você iniciou sua carreira e como vê a educação no Brasil atualmente:

Luci Cleide – É uma reflexão que me faz destacar um grande aumento de oportunidades que surgiram, com as políticas públicas educacionais. Porém, não desprezo o padrão praticado no passado, pois tinha eficácia e garantia uma formação aos interessados em prosseguir em sua formação acadêmica. Hoje vemos pouco aproveitamento da população, pois querem tirar proveito imediato, não se preocupando, muitas vezes, com a formação do cidadão. Por outro lado, a sociedade brasileira continua sofrendo com a má utilização dos recursos públicos que deveriam ser destinados à educação, mas não são usados de forma correta.



Referências


BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei 9394/96.

Gracindo, Regina Vinhaes. Gestão democrática nos sistemas e na escola. Brasília: Universidade de Brasília, p.35.; 2007.


VICTOR, Antonildo Alves. Gestão Democrática e Participativa na Escola. Disponível em: https://www.portaleducacao.com.br/administracao/artigos/56866/gestao-democratica-e-participativa-na-escola. Acesso em 28 de novembro de 2016.

36 comentários:

  1. Excelente matéria e a entrevista não ficou atrás!

    Uma conclusão que sempre tive a respeito da nossa péssima educação, é que ele não é protelada apenas pelos nossos políticos e por alguns que se dizem educadores mas também por toda nossa sociedade, e eu me incluo nela.

    Se pudesse ser tudo que li, resumiria pelo seguinte trecho, que diz tudo na minha opinião:

    "As pessoas somente se comprometem com aquilo que lhe diz respeito, ou que faz parte de suas vidas. Se a pessoa faz parte de um determinado grupo ou organização se aquele espaço social faz parte de sua vida e, portanto, também lhe pertence, a pessoa participa das decisões porque elas afetam sua vida. Só há efetiva participação e compromisso quando se adquire a cultura do querer participar para exercer poder sobre o que lhe pertence, o que diz respeito à sua vida e ao seu futuro. A verdadeira participação requer a superação da cultura do dever participar, do “espírito de colaboração”, da mera “incumbência” para incorporar a cultura do querer participar."

    Formidável, gostei de verdade!

    ResponderExcluir
  2. Olá Eliziane, tudo bem?

    Eu adorei conhecer sobre esse termo, pois não fazia ideia do que significava e ficava bem perdida quando ouvia alguém citá-lo por cima. A entrevista também foi bem esclarecedora, ela está concisa e bem auto-explicativa. Parabéns pelo post, está tudo maravilhoso!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá, Miss!
    Sou professora e já trabalhei em escolas onde o educador se compromete de fato com sua profissão. Entretanto, não é todo mundo que se dedica e está disposto a se organizar e planejar, quanto mais com envolvimento de TODOS, pois conforme a educadora Luci "A colaboração das famílias ainda é um fator que deixa a desejar".
    Gostei bastante do tema abordado!
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! A Luci foi bastante transparente, sucinta e sincera, não é? Não mascarou a realidade, embora nem sempre a legislação seja cumprida. Se tratando das escolas particulares então... isso fica muito mais difícil. Quantas vezes os professores, alunos e seus pais têm a liberdade de participarem desse planejamento? Muito difícil! E na esfera pública? O poder público também se ausenta de suas responsabilidades e muitas vezes as dificuldades que a escola enfrenta não são ouvidas e os diretores e orientadores pedagógicos não sabem o que fazer para solucionarem um determinado problema. Mas só da gente saber que isso é um direito nosso. Já pode nos tirar da alienação. A educação é realmente um dever de todos. Grata pelo comentário! Beijos!

      Excluir
  4. A entrevista ficou ótima e curti bastante a ideia desse tipo de post.

    ResponderExcluir
  5. Muito interessante o blog! E muito útil também..
    Estou cursando Pedagogia e por incrível que pareça estamos estudando sobre Gestão Escolar.
    Parabéns pelo blog e pelos temas abordados.
    Estou seguindo já!
    Beijos e sucesso!
    http://www.deixameser.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bacana saber disso! Eu fiz formação de professores. Tive gestão institucional na faculdade. Adorei saber sobre Gestão democrática, Ianca! Algumas instituições dão o nome de gestão participativa. Sucesso pra ti também! Beijão!

      Excluir
  6. Olá,

    O post está muito informativo e a entrevista excelente. Algumas coisas não sabia sobre o assunto e fiquei muito feliz em saber.
    Parabéns pela iniciativa.
    Beijos
    Bella

    ResponderExcluir
  7. Olá!!
    Que post bacana, gostei de saber mais sobre o assunto. Adorei a forma que escreveu e as perguntas, pois tem informações bem legais. Parabéns!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Eu não fazia ideia que existia esse tipo de gestão. Para ser sincera, não é o tipo de assunto que eu iria atrás naturalmente. Mas eu gostei muito tanto do que foi explicado, quanto da entrevista.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado! Sempre é bom variar nos assuntos e descobrir coisas novas, né?

      Excluir
  9. Não é um tipo de assunto que me interessa muito, mas meu Deus! A entrevista ficou ótima e a matéria está maravilhosamente bem escrita! Amei!

    Bjos, Blog Marinspira

    ResponderExcluir
  10. Uauuuu, sou formada em Administração e realmente gostei da matéria. Ficou ótima! Parabéns!

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?
    Esta matéria ficou excelente, juntada a entrevista, ficou algo maravilhoso!
    Parabéns, um beijo.

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Foi com uma pitada de nostalgia que li essa entrevista. Me lembrei da época que cursava as matérias de licenciatura.
    Todas a sociedade precisava ter a consciência da importância do que conhecer o funcionamento das escolas.
    Beijos!
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrs Também entrei em contato com o tema por causa da licenciatura, mas amei saber sobre ele porque sou realmente da área da educação.

      Excluir
  13. Parabéns pela matéria e pela entrevista.
    Hahaha sucesso no blog. Que venham mais e mais entrevistas

    ResponderExcluir
  14. Amei a matéria, e a entrevista também ficou ótimaa!
    Me passou várias coisas das quais são sabia. Muito informativo! Parabéns!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Deu pra ver que você se esforçou e se importa com o conteúdo da matéria. Discorreu sobre o tema, anexou uma entrevista com profissional da área e referências. Ficou muito bacana e eu gostei bastante de conhecer um pouco mais da visão sobre gestão escolar (como professora especializada em uma área e não praticante da profissão, praticamente não tenho conhecimento do assunto). Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai que você volta a trabalhar na área da educação, Nuccia? Na verdade, ainda que seja mãe ou responsável por algum aluno, agora já conhece como as coisas deveriam funcionar e pode exigir os seus direitos. Porque a Gestão democrática é obrigatória e assegurada por Lei. Lógico que não funciona como deveria, mas saber disso já nos tira da alienação. Obrigada pelo comentário.

      Excluir
  16. Oiii
    Sou professora e concordo com tudo o que você disse. É necessário a participação de todos para que os projetos pedagógicos sejam realizados de maneira satisfatória.

    ResponderExcluir
  17. Bom, de uma coisa tenho certeza: na escola em que estudei a vida toda essa gestão participativa não era colocada em prática. Não sei nada sobre o assunto, mas com certeza acredito nisso de que quando as pessoas participam de um planejamento, se comprometem mais com a execução do planejado.

    ResponderExcluir
  18. Infelizmente as coisas não acontecem como deveria, como tudo no Brasil, né? Mas foi como eu disse lá em cima. Só de saber que isso é Lei, já nos tira da alienação. Grata por seu comentário!

    ResponderExcluir
  19. Que venham muitas mais entrevistas e que façam tanto sucesso como esta!
    Parabens pela escrita

    ResponderExcluir
  20. Oi Eliziane, tudo bem?
    Parabéns pelo post explicativo e pela entrevista. =)
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir