22/02/2017

Cartas contemporâneas - Um amor possível?

Sim, os opostos se atraem! Mas também se estranham. 
Duas pessoas completamente diferentes já se relacionaram,
e as consequências deste envolvimento não foram tão agradáveis. 
No entanto, algum tempo se passou e a coragem 
para dizer o que nunca foi dito ganha potência. 
E junto com a coragem, o reconhecimento dos erros cometidos.
Recordações dos pequenos gestos retornam agora em forma de remorso, 
mas também de saudade. 


Foto meramente ilustrativa: Ator Mario Casas


Olá, Julia! Como vai?

         Aqui é o Pedro. Faz três anos que não nos falamos. Já tem um tempo que eu queria falar com você. Eu nem sei como começar isso... Mas vou tentar ser natural e dizer exatamente o que me motivou a lhe escrever.
Hoje a Cátia, minha tia esteve aqui com a família comemorando o aniversário da minha mãe. Veio com toda a família. Só o Hugo que nunca sai de casa não quis vir. Mas eu entendo o motivo dele. É aniversário de uma senhora de 64 anos. Na idade dele, eu faria o mesmo. Não pelos mesmos motivos, porque o vício dele é completamente diferente do meu.
Na idade dele, eu faria o mesmo e fiz, faltava a maioria dos eventos de família. É que eu não gostava de perder tempo com “bobagens” e “conversas improdutivas”. Pelo menos era assim que eu pensava.
Na idade do Hugo, eu não sabia nada de games, estaria estudando certamente. Era só isso que eu sabia e gostava de fazer. Pesquisar, estudar, trabalhar... Até hoje, na verdade. Você sabe bem disso, não é?
Tantas vezes eu desmarquei nossos encontros para fechar mais um contrato, ler mais um capítulo, terminar mais uma planilha, conseguir mais um cliente, participar de mais uma reunião, realizar mais um curso, mais uma capacitação, obter mais um diploma...
Eu vivi a minha vida inteira pensando em mim, eu sempre quis trabalhar mais, ganhar mais, buscar mais conhecimentos e não vivia a vida de forma mais amena e você me mostrava como isso era fácil. Eu não conseguia enxergar.
Estou escrevendo porque não tenho mais seus números. E também porque dentre tantas coisas que estão acontecendo comigo, o que mais me motivou a te procurar foi o seguinte fato: A Giovanna, neta da minha tia Cátia, que já está com 6 anos, lembra dela? Bem, ela estava comendo o bolo de chocolate e em um descuido, eu deixei meu celular em cima da mesa e ela pegou dizendo que queria jogar. E quando ela me devolveu o celular, estava sujo de bolo. Sua lembrança veio automaticamente nesse momento.
Eu fiquei muito tenso na hora, pelo fato de me dar conta que eu sempre briguei com você por esse motivo tosco, não é? Não sabia antes que era tosco, agora eu sei.
E eu fiquei olhando aquele celular grudento e recordando o quanto você é doce. E o quanto eu daria tudo para ver você novamente lendo as receitas no meu celular só porque a tela é maior, levando ele para a cozinha e sujando ele de maionese, de chantili, de molho... Uma vez ele ficou com cheiro de camarão... rsrs Eu encrencava com coisas tão idiotas! Eu nunca conseguia te fazer um elogio.
Eu já tinha me dado conta antes da merda que fiz, mas essa questão com a Gigi foi o estalo que eu precisava para ter a coragem de te procurar.
Só agora eu me dei conta que eu tinha um tesouro, uma mulher linda, e eu nunca ressaltava suas qualidades, mas reclamava de tudo sem motivos.
Eu quero te pedir desculpas por brigar com você só por deixar suas roupas emboladas no meu guarda-roupa e por esquentar demais só pelo fato de você não devolver meus livros à minha estante depois que lia. Eu sinto falta das pequenas coisas, inclusive das que eu mais reclamava.
Eu queria muito que você me perdoasse por só perceber agora que você merecia que eu te desse mais valor.
Você conhece a minha família melhor do que eu. Não há um único evento em que não perguntem por você. É como se quisessem jogar na minha cara que eu perdi uma mulher incrível por sempre ser sistemático, ritualístico, metódico, chato... Eu sou um babaca!
Lembrei de quando ficava te testando. Fazendo perguntas que eu tinha certeza que você não responderia. E você sorria e me chamava de chato me dando a língua. Essa expressão tão inocente não sai nunca da minha cabeça.
Lembrei também da vez que te fiz chorar porque te chamei de... louca e você estava muito irritada e acabou chorando e indo embora de uber porque não queria nem que eu te levasse em casa. E eu nunca te pedi perdão por isso, mas você me perdoou.
Semana passada eu assisti aquele filme que você me indicou: "O leitor".
Como eu passei tanto tempo sem conhecer essa obra fantástica? Achei incrível! Eu sempre achava uma forma de te convencer a assistir os títulos que eu queria. Fiquei surpreso com o enredo do filme. É simplesmente brilhante! Obrigado!
Também visitei seu vlog outro dia, assisti ao vídeo sobre as formas de usar turbantes. Fiquei muito contente por você agregar ao seu “look”, como você mesma diz, à pulseira que você sabe que foi minha mãe que comprou para eu te dar. É que eu nunca soube escolher nada para alguém e devo lhe confessar que nunca me importei em presentear alguém, mesmo que esse alguém fosse a minha namorada. Acho que na verdade, eu nunca me importei com ninguém, só comigo mesmo.
E eu fiquei lá admirando a pessoa comunicativa que você é. Mais de 30 mil seguidores... Que bacana! Vendo esses e outros vídeos, percebi o quanto você é divertida, o quanto você é talentosa!  Eu tive tanto orgulho, que nem parece que eu implicava tanto com você por causa disso e que pedia pra você focar em algo importante. E isso é tão importante para você, não é? Desculpe!
         Tenho 4 meses de namoro com a Ana e a gente se viu umas 5 vezes no máximo. Eu achava que era melhor assim. Mas a Ana é fria. Ela consegue ser mais fria que eu. Da última vez que ela veio aqui e eu tentei fazer uma massagem, ela disse que não gostava de massagens de pessoas que não são profissionais. “Você pode me aleijar” ela falou tirando minhas mãos dos seus ombros. Percebi que com você tudo era mais divertido. Tudo fluía. Você é bem-humorada, engraçada...
Eu nunca gargalhei com a Ana. Eu nunca gargalhei com ninguém. Só você tinha esse poder. Eu achava que seu jeito expansivo e despreocupado era bem louco, embora neste momento o que eu mais queria era que você com esse sua loucura me ajudasse a tirar um sorriso do meu rosto, porque eu nunca fui dado a sorrisos, mas sem você, é impossível deles aparecerem.
De todas estas tuas encantadoras qualidades, eu nunca vou esquecer-me do teu altruísmo. Eu nem sabia que alguém podia ter essa qualidade de verdade. Eu lembro do olhar carinhoso e do jeito delicado com o qual você se ofereceu para dar comida à minha avó. Você se sentou ao lado da cadeira de rodas dela, pegou o prato da mão da cuidadora, deixando ela brava e ficou alimentando a minha avó e conversando, como se ela pudesse interagir com você. Até poderia se dizer que era uma forma de tentar agradar, mas... quando a cuidadora teve que deixar nossa casa e minha mãe e minha tia se viram sozinhas para cuidarem da minha avó, você se ofereceu para estar aqui algumas manhãs pra lhe ajudar a dar banho e trocar os curativos, você revezou com elas para dormir no hospital quando minhas primas, suas netas, não apareciam, por estarem como eu, resolvendo seus próprios problemas.
Eu era um idiota! Você foi muito inteligente em ter me deixado. Acho que na verdade, eu tinha inveja desse teu jeito leve e divertido. Eu queria ser tão leve quanto você. Era por isso que eu te irritava tanto.
Eu só quero lhe dizer que você é a melhor pessoa que eu conheci.
Eu nunca fui capaz de te agradecer pelo que você fez por mim e por minha família. Obrigado por amar tanto uma pessoa amarga como eu.
Você não tem noção do meu remorso. E é com lágrimas que eu te escrevo e te digo que é uma pena eu não ter sentido e reconhecido a grandeza da sua personalidade antes de você desistir de mim.
Enquanto viver, te desejarei o melhor sempre!
  

Pedro Pardini

__________________________________________________

Para ler a resposta de Júlia: Clique aqui!

60 comentários:

Renata Souza disse...

Nossa, estou completamente de cara com esse texto.
Fiquei triste, mas percebi que as vezes em relacionamentos somos bem assim, não damos o valor necessário para quem está do nosso lado, ou não enxergamos o que ela faz por nós, e é ai que perdemos.
Amei o texto, triste, lindo, transborda sentimentos e nos faz olhar coo estamos agindo.
Beijuh

Carol Vicente disse...

Viva o amor. Nas suas mais diversas formas. Embora nem sempre estejamos aptos a reconhecê-lo.
Grande abraço.

Aline Oliveira disse...

Que texto lindo, triste e tocante!
Amei como foi escrito e o quanto nos transmite sentimentos. Esse texto reflete como são muitos relacionamentos hoje em dia, muitas vezes, o amor vem somente em um dos lados, e o quanto o ser humano.só percebe o que tinha ao seu lado somente quando perde. É triste isso mas é real.
Temos que sempre reconhecer quem está conosco, pois pode ser tarde demais para voltar. Precisamos aprender o significado do amor!!

Beijo, beijos
relicariodehistoriasma.blogspot.com

Rob Camilotti disse...

Eliziane, muito bom esse conto (é um conto, certo?)!

Esse tom confessional enche a história de vida, de significado e significância. Seu conto mostra como, no amor, o possível pode não ser tão possível assim, rs.

Até a próxima.

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Verdade! É o famoso: "Dar valor depois que perde" Obrigada pelo comentário.

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Vivaaaa! rsrs Abraço!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

É, sim! São contos em forma de carta.

Inté!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Fico muito feliz que tenha gostado! É muito bom saber que fiz você refletir. Grata pelo comentário. Beijoooo

Bea AMP disse...

Antes de mais, meu Deus, como me identifiquei com essa introdução!!
Fiquei super emocionada... Quis até por nessas palavras aquilo que determinadas pessoas do passado me poderiam dizer, mas isso é muita burrice da minha parte, né?
Gostei muito, sério! <3

Pseudo Psicologia Barata

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Não valeria a pena, Bea! O que passou passou! Você é infinita! Quem não nos valoriza perde. Fico feliz que tenha gostado! Amo o seu blog!

Aline Belloni disse...

C-A-R-A-C-A!
Eu tô digitando com os pés, porque estou aplaudindo com as mãos.
Mano, que texto é esse? Cara, era como se eu fosse ela lendo a carta. Deu pra sentir toda o peso, tudo que passou. Parabéns!

Caroline Moreira disse...

Meu Deus! Que texto lindo, estou apaixonada por tudo, pela escrita, linguagem, descrição... Tudo se encaixa e nos envolve!

Um beijo, Carol
Blog com V.

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

kkkkkkk Grata pela sua animação, Aline!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Fico imensamente feliz pelo fato de você ter gostado do meu texto, porque também amo os seus. Obrigada!

Grazi Moraes disse...

Olá amore,
Gostei de seu blog, uma delicadeza. E que texto lindo, parabéns!
Chorei no final do texto e confesso que me identifiquei em alguns momentos.
Beijokas!

Maisa Santos disse...

Que texto lindo, tanto sentimento. E é assim mesmo não é!? Algumas pessoas ao dam valor depois que perdem, enquanto esta ali, só vê os defeitos do outro. Parabéns pelo texto lindo 😍. Bjoss da Isa 💕

Daniel Dornelas disse...

Que texto lindo! Amei o enredo e os sentimentos que o texto me trouxe. Parabéns! Ficou lindo!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Ô flor... Seu blog que é uma lindeza! Mas obrigada pelo elogio! Que bom que meu conto te emocionou! Mas acho que Pedro vai conseguir se redimir de seus erros. Eu acho! rs Beijooo!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Verdade! Por isso que temos que valorizar as pessoas que estão ao nosso lado, em todo tempo. Obrigada pelo elogio, obrigada pelo comentário!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Obrigadinha, Dani!

Lilian Farias disse...

'Pesquisar, estudar, trabalhar... Até hoje, na verdade. ' que pessoa mais chata, e conforme fui lendo o texto, tive mais certeza, sempre tenho dificuldade com pessoas metódicas.

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Ah! Geralmente eu gosto delas, sim! Bem longe de mim! rs

Diana Canaverde disse...

Olá Pedro!
Menino que texto mais lindo!!
Amei... não é fácil reconhecer os erros e pedir perdão, muitas pessoas ainda são resistentes e orgulhosas, mas achei super válida esta carta... achei lindo a forma como ele reconheceu as qualidades dela e o quanto ela faz falta na vida dele e pelo fato do foco dele está em sua vida pessoal e não nos dois ele a perdeu. Xero!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Obrigada, Diana! Vou avisar ao Pedro que você gostou do texto dele! rsrs Obrigada pelo elogio, flor! Xero!

andriely almeida disse...

Parabéns pelo seu texto você tem talento. Beijos

carool santos. disse...

Olá, tudo bem? Que escrita maravilhosa! Fiquei bem conectada no texto,e ele fluiu muito bem <3 Super me identifiquei :D
Beijos,
http://diariasleituras.blogspot.com.br

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Obrigada, flor! Bj!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Que bom! Fico feliz que tenha gostado! Um beijo!

Angelica Michelly disse...

Gente eu não estou bem depois desse texto.
Que coisa mais linda e mais triste. Mas isso é tão real não é? Tanta gente perde as melhores pessoas por não conseguir ver o quão maravilhosa elas são. Espero não ser assim.
Seu texto ficou lindo, parabéns.

Beijos

Camila disse...

Gostei bastante do texto.
Nunca passei por algo assim, mas consegui entender a emoção do personagem!
Parabéns.
Beijos
Camis - blog Leitora Compulsiva

Milca Abreu disse...

Sem comentários. Aliás, parece que consigo tocar esse texto. Não sei explicar

Leticia Golz disse...

Oi, tudo bem?
Que carta triste! Está muito bem escrito e cheio de sentimentos. Até fiquei torcendo para ele ser perdoado rs

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Obrigada pelo seu comentário, Letícia! Talvez ele seja perdoado, mas não agora! rs

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Sim! Mas comum do que a gente pensa! É o famoso: "Só dar valor depois que perde!" Obrigada, flor! Um beijo!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Que bom que você gostou! Obrigada! Beijo!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Que bom que ele mexeu com os seus sentimentos!

Raquel Cavasini disse...

Olá flor, adorei o texto...parabéns!
Continue escrevendo, quero ler mais coisas de sua autoria.

Abraços

Carol Oliveira disse...

Oie! Tudo bem!?

Adorei seu texto, na verdade estou aqui imaginando mil e uma coisas que podem ter acontecido depois da Júlia ler essa carta, sim eu to imaginando isso num livro hahahaha

Enfim, maravilhoso seu texto, super tocante e muito real.

Beijos
www.paraisoliterario.com

Suzane Cruz disse...

Nossa que profundo, o texto me trouxe recordações! A vida é assim ne?! Às vezes temos o melhor ali nas mãos e nem percebemos! Só reconhecemos o céu quando chegamos no inferno! E eu acho isso bem triste, porque nós faz perder coisas boas por simplesmente não reconhecê-los ! Seu texto é lindo e forte! Parabéns por sua escrita!

MEMÓRIAS DE UMA LEITORA

Gabrielly Marques disse...

Olá!! Gostei bastante do seu texto. Eu se fosse ela nem responderia! hahahah Ele me pareceu bem chato, insuportável na verdade. Eu com certeza daria o fora. Você escreve super bem.
Beijos!

Suelane Pereira Passavante disse...

Sinceramente?
Eu ADOREI esse texto...
Pois com certeza as aparências enganam... Ou estou equivocada?
Ameiiiiii

Bjs
Suka
http://www.suka-p.blogspot.com.br

Suzana Chaves Linhares disse...

Olá! Meu Deus, quanta paciência!! Ele foi um chato o relacionamento inteiro e agora chega com esse papo? Tomara que ela não caia nessa de novo! Estou amando! Beijos!

Bruna Morgan disse...

Não sei se eu gostaria de receber a carta de um ex dessa maneira huahuahua ele se arrependeu 3 anos depois, nossa, eu ignoraria huahua

Com amor,
Bruna Morgan

Bia Prado disse...

Que texto maravilhoso e ao mesmo tempo que barra que essa pessoa passou né :( é bem complicado

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Fico muito feliz que tenha gostado! Grata pelo elogio e por seu comentário! Abração!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Oi, Carol! Que bom saber que mexi com sua imaginação! Sim! vai ter livro, sim! Se Deus quiser! Beijão!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

As pessoas só valorizam depois que perdem. Isso é muito triste. Concordo com você! Gratidão pelo elogio e por seu comentário!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Ela respondeu! Mas acho que não foi bem o que ele esperava. rsrs Grata por seu comentário e por seu elogio! Um beijo!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Que bom que gostou, Suka! Fico feliz! Beijos!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Hahahaha! Tu sabe como nós mulheres às vezes nos permitimos enganar, né? hehehe Acho que a Júlia não é diferente. Grata pelo comentário! Beijão!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Oxi! E ele se arrependeu tardão, né? Mas antes tarde do que nunca! Ou não? rsrs Eu nem abriria a carta. Hahaha Beijão, Morgan!

MISS - Menina Irreverente, Sabida e Socrática disse...

Sim! Complicadíssimo! Grata pelo comentário!

Andressa Santos disse...

Esse texto daria um livro e tanto, que texto e que história. Não consigo imaginar viver com uma pessoa assim, e existe histórias semelhantes bem do nosso lado. As pessoas só dão valor quando perdem. Parabéns pela escrita, adorei demais.

Kelly Mathies disse...

Eu terminei de ler a carta e já fiquei pensando em toda a história dos dois, em como eles poderiam ter se conhecido, e como ocorreu o rompimento, e cada um segui seu caminho. Daria um conto incrível e cheio de detalhes ♥ É muito complicado quando alguém só percebe a burrada que está fazendo depois de perder o outro. Dói tanto em um quanto no outro. Mas são aprendizados que infelizmente precisamos passar.

Pyetra Santiago disse...

Que texto foi esse? Que cara mais chatooooooooooooooo! A princípio achei que ele tava arrependido, mas não tenho mais tanta certeza... Maseu não sei se eu daria um fora nele. Sou muito sentimental e existe a possibilidade dele ter mudado. Ai, tô confusa e curiosa hahahaha
Adorei o texto! <3
Beijos

pyetramelo.blogspot.com.br

Luciana Ruas disse...

Que texto hein! Transmite verdade, é a realidade! É bem reflexivo também! Amei sua escrita, beijos!

Priscilla Batista disse...

Adorei o texto, achei super interessante o fato de ele abordar a perspectiva do opressor e não da oprimida. Fiquei intrigada por ele reconhecer tudo o que fez, mas é verdade o que dizem sobre só sabemos o valor de algo ou alguém quando perdemos. Mas o texto é ótimo para refletirmos e darmos mais valor e reconhecimento para as pessoas que nos amam e se dedicam a nós. Bj


http://missdiva.com.br/

Nanninha disse...

Hoje em dia o que eu mais vejo são relacionamentos assim, onde um não dá o verdadeiro valor para pessoas que estão ao seu lado... Vivi isso poucas vezes mas isso sempre me ensinou muito... Adorei o texto e estou indo ver a resposta da menina... bjs

Gabriela Gouveia e João Martins disse...

Que texto! Muitos relacionamentos são assim hoje em dia, eu mesma só dei valor quando "quase" perdi, às vezes a gente não enxerga coisas que estão bem na nossa frente...

Liz disse...

Bah, adorei o texto ♡ to numa epoca bem complicada em relação a amizades ): e isso inclui pessoas que nao dao valor ou nao entendem que eu dou valpr, só nap sou muoto presente. Alias, sinto saudade de escrever carta