03/06/2015

Esconderijo

Me rejeitas docemente aflito

Adrede oculta-me teus conflitos

Mas conheço o código que me permite adentrar

E decifrar o enigma do esconderijo em teu olhar


Mesmo nessa fortaleza seu querer se releva exíguo

Pouco a pouco tal como um pássaro constrói seu ninho

Desatando a sombra de teu olhar desalento

A exatidão do que eu vejo se evidencia

Em cada gesto, em cada movimento


Descobri que teu amor ascenderia

Assim que teus olhos meu corpo envolvia

Tua respiração minha pele aquecia

Enquanto o desejo em meu peito, fervilha.



8 comentários:

  1. Nossa, que lindo seu poema! Eu também escrevo, mas é em contos de terror.
    Tenho uma página que chama-se: Sonata do Medo, é só para meus contos e em breve vou postar no meu blog, também.

    Adorei o poema e seu blog, lindo, lindo!
    Beijos da Lô.
    http://literaturaexuberante.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do teu blog!
    Se puderes vista o meu e se gostares segue...se seguires deixa comentário :)
    Beijinhos

    http://beautifullsecrets.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Oie gatinha adorei o seu blog *--*
    seguindo retribui?
    http://omundodegarotasrak.blogspot.com.br/
    bjoocas :*

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto.
    bjuxx
    http://www.taayvargas.com/

    ResponderExcluir
  5. muito lindo amiga,não escrevo mas amo ler poemas.

    ResponderExcluir