06/02/2017

Sugestão de filme - Ela


Título original: Her

Título no Brasil: Ela 

Em portugal: Uma história de amor

Diretor: Spike Jonze

Gênero: Drama, comédia, ficção científica, romance

Música: Arcade Fire e Owen Pallett

Lançamento: 2013

Elenco Principal: Joaquin Phoenix - Theodore Twombly

                              Amy Adams - Amy

                              Rooney Mara - Catherine

                              Scarlett Johansson - Samantha (voz)




           Ela é um filme bastante intrigante que me fez recordar muito de um dos episódios da tão falada série Black Mirror, por se encaixar nessa temática tecnológica futurista e reflexiva.
          O filme expõe muito da nossa atualidade e em alguns momentos eu ficava encabulada com a forma como o personagem se envolvia e se apaixonava pela voz, inteligência, organização e dedicação de Samantha, um não tão simples sistema operacional.




          

          O longa é um pouco monótono, no sentido de ação. Mas às mudanças que este envolvimento traz ao personagem, são perceptíveis, bem curiosas e é o que nos prende a ele.
          Samantha a princípio existe somente para Theodore. O auxilia com a checagem de seus e-mails e com a edição das cartas que ele escreve. É bem humorada, percebe a beleza da vida e ainda compõe músicas para os momentos em que ela e Theodore estão juntos.
          Um ponto bem curioso do filme, é quando Samanta tenta arranjar um corpo para si. E faz com que Theodore se relacione sexualmente com ele, mas como se fosse a própria Samantha.




          É apenas uma ficção, certo? Mas pode se comparar a alguns aspectos de nossa realidade como por exemplo o tempo em que gastamos nos relacionando virtualmente com outras pessoas.
          O final do filme é surpreendente! Bem diferente do que eu imaginava, porque é bem comum que os humanos se desfaçam das máquinas e não o contrário.





          Apesar do filme obter muitos elementos ainda inexistentes e surreais, o apego dos personagens por seus sistemas operacionais se assemelha muito com o de nossa sociedade aos sistemas operacionais hoje existentes. Aliás o filme pode ser visto como uma sátira da nossa realidade. Uma crítica do nosso apego exagerado à tecnologia, além de trazer à nossa reflexão a intolerância às dificuldades de convivência, ou a intensidade que nos entregamos aos relacionamentos virtuais.

          O que faz com que essas e outras obras que tratam dessa interação humana com a tecnologia transformando o comportamento ou trazendo consequências psicológicas indesejáveis para o indivíduo serem tão assustadoras, é que muitas vezes nos identificamos.



   

          Vencedor de 3 premiações como Melhor roteiro original, incluindo o Oscar.
          Aspectos relevantes a serem ressaltados: A trilha sonora bem original e rica, a sensibilidade e o jeito melancólico de Theodore, a forma como ele se veste (figurino bem interessante, social e despojado ao mesmo tempo. Dá um ar romântico), o zelo que tinha por sua ex-esposa Catherine e sua amizade com Amy. A admiração que recebe pela escrita de suas cartas e a certa facilidade com que seu relacionamento virtual é aceito socialmente.




PS: O personagem me lembrou tanto o Eduardo Sterblich (risos).


16 comentários:

  1. Parece ser um filme bem legal. Sou do time da amiguinha decima: se tiver na Netflix, assisto em breve

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  2. Eliziane, esse filme é mesmo demais. Assisti faz um tempinho, mas me lembro da estranheza inicial ao tentar entender a história, mesma história que no decorrer só foi me ganhando pela originalidade e poesia.

    "Ela" é um filmaço.

    O personagem te lembrou o Eduardo Sterblich, rs? Não é que parece mesmo um dos seus personagens malucos, kkk.

    Abraço e parabéns pelo bom gosto, rs.

    ResponderExcluir
  3. Nunca tinha ouvido falar desse filme, mas achei interessante... Vou procura-lo... Bjoss da Isa 💕

    ResponderExcluir
  4. Nunca ouvi falar sobre, e confesso que não sei se gostaria do filme. Quem sabe?! Obrigada pela dica! Sucesso!

    www.dezembro22.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Ainda não tinha visto ou ouvido alguma coisa sobre esse filme e agora lendo a resenha fiquei curiosa. Não ligo pelo fato de ser monótono. O enredo é interessante e tem muito a ver com a realidade de muitas pessoas (pelo que estou vendo) que "vivem" no mundo virtual.
    Bjos,
    http://contosdacabana.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oie, nossa faz um tempo que assisti e até hoje lembro muito bem desse filme, as emoções que ele passa são tão intensas, realmente é muito bom!

    Bs Jany

    http://www.leituraentreamigas.com.br

    ResponderExcluir
  7. Esse filme é brilhante e me fez sentir emoções tão intensas! Adorei o post porque com certeza é um dos melhores filmes que pude ver!

    Um beijo,
    Blog com V.

    ResponderExcluir
  8. Olá, parece ser um ótimo filme! tão próximo e tão distante da nossa realidade ao mesmo tempo, ao ler sua visão, me lembre do filme argentino Medianeras: Buenos Aires na era do amor virtual, acho que tem um pouco da pegada desse filme!

    ResponderExcluir
  9. Esse filme é perfeito, até já escrevi sobre ele rapidamente no meu blog http://bruna-morgan.blogspot.com/2016/08/beda-3-3-filmes-que-esmagam-o-coracao.html

    Ele tem uma delicadeza e uma fotografia incríveis!

    ResponderExcluir
  10. Olá,

    O filme parece ser bem interessante e contém um tema muito atual e peculiar, que divide opiniões bem diversas. Você citou que o livro te lembrou Black Mirror, assisti apenas 1 episódio da primeira temporada, mas já imagino como deva fluir o contexto do filme. Adorei a dica!

    Beijos,

    http://gnomaleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Eu não sou muito de assisti filmes nem séries, geralmente assisto os filmes dos livros que leio, ou que ta passando na TV mesmo, mas obrigado pela dica.

    ResponderExcluir
  12. Ainda não assistir mas parece ser bem interessante.

    Bjs
    Suka
    http://www.suka-p.blogspot.com.br

    ResponderExcluir