23/05/2017

Eu, mulher!

Eu estava bem e feliz. Deveria ser loucura alguém estar tão feliz em um mundo caótico como este. Sentia-me tão feliz que estava assustada. Eu sabia que algo muito ruim viria. É sempre assim... Quando se está muito feliz, a queda é grande.
E então, na semana seguinte, a tristeza veio. E junto com ela, a vontade de querer desistir de tudo, inclusive da vida. É algo comum quando os hormônios começam a aflorar. Essa gangorra de sensações um dia vai me matar. Posso imaginar o transtorno real de um bipolar. Eu não sofro dessa patologia, mas toda mulher tem um pouco disso. 
Não sei o que houve... Estava realmente muito agoniada, angustiada... Olha que fazia tempo que não me sentia assim tão inútil. Todas as derrotas da minha vida começaram a surgir em minha mente de maneira crescente e desesperadora. 
Ter bom ânimo nas aflições? Lembrei desse ensinamento. Porém, não consegui. Queria que alguém me ensinasse como fazer isso, porque é quase surreal que alguém, de fato sustente essa virtude em momentos desoladores como o que eu vivi. Queria ser mais resistente, mas no olho do furacão, não consigo enxergar mais nada. A luz no fim do túnel se apaga. O motivo de estar como estava era simples: Eu havia nascido.
Lembro de na hora só querer entender o motivo de parecermos formigas dentro de um grande pote de vidro tampado sem comida, sem água, sem ar... Deixado ali para sucumbir, vítima de algum experimento infantil. Nós somos as formigas, o mundo é esse pote de vidro. Deus, é o ser infantil.
Eu sou exagerada! Mas desta vez foi o que senti. E eu não estava exagerando, ou talvez estivesse, mas condizia com as dores exageradas que residiam em meu coração. E as dores internas foram ampliando até que ficaram insuportáveis e eu blasfemei. Logo eu que penso que todas as pessoas deveriam ter mais fé?
Mesmo destruída eu precisei reconstruir o mundo de alguém. E esse alguém disse a mim que estava orando para que Deus colocasse um anjo em seu caminho. E essa pessoa se referiu a mim como o anjo que Deus mandou. Ouvir aquilo significou muito. “Isto fica feliz em ser útil!” 
Me envergonhei de sentir-me o pior ser do universo. Naquele momento percebi o quanto sou especial. Me senti viva e amparada, senti-me protegida e amada. Só não prometi que jamais abandonaria a minha fé novamente, porque nunca se sabe como vai ser a próxima TPM.  



                       

PS: Os sintomas da TPM variam de pessoa para pessoa. Tanto os sintomas da TPM quanto as cólicas menstruais, se forem muito intensos, não podem ser vistos com naturalidade. Por tanto, se em todos os seu ciclos você sente dores insuportáveis e o seu humor muda de forma drástica, procure um médico. O site Minha Vida, diferencia os tipos de TPM e informa a melhor opção a fazer para o seu tipo de TPM. A matéria é muito bacana. Para conferir, clique aqui.

8 comentários:

  1. Ei, menina!
    Super entendo isso de variação de humor de acordo com o ciclo menstrual. Com a Graça da Deusa eu nunca tive muita cólica, e o humor não varia tanto, apesar de ter lá meus dias em que quero matar alguém, ou desistir da p*#ra toda. Invariavelmente, acontece de ter alguém que me vê como "anjo" também. Esses amigos são lindos, não é? Gostei muito do texto e especialmente da obs ao final dele! Muito útil!

    ResponderExcluir
  2. Oi.

    Adorei seu post! Eu sofro muito durante a TPM, só falto morrer de dor, não consigo fazer nada, fico muito irritada, cansada, é um sofrimento. Fico sempre feliz quando termina.

    ResponderExcluir
  3. Oii! Adorei o texto, só achei um pouco exagerado haha
    Mas é bem difícil eu me sentir assim. Pra falar a verdade nem lembro da ultima vez que me senti assim. haha
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Te desejo muita paz nesses momentos.

    ResponderExcluir
  5. É bem assim mesmo. Não chego a ter tanta variação de humor, e quando começa a bater aquela bad básica, são os livros que me tiram desse início de buraco, claro que para esses dias, prefiro um mais clean.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  6. Eu supeeeeeeeer me identifiquei hahaha quando estou de tpm parece que to numa depressão profunda, que odeio todo mundo e todo mundo me odeia kkkkkk mas passa rápido! Pensei que fosse normal hehehe
    Adorei o post! Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Perfeito texto, acho que toda mulher vai se identificar, não tem como não.
    Adorei.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Ótimo texto, eu graças a Deus não tenho mudanças nesse periodo, porem tenho uma amiga que sofre muito nesses dias .. Nessas horas que perguntamos: Porque homens não tem isso? rs

    ResponderExcluir